Filtre por categoria

Síndrome de Peter Pan, você sabe o que é? 7 sinais fáceis de identificar e como superar esse problema.

No início do relacionamento o comportamento brincalhão, descompromissado e até um pouco ingênuo do seu companheiro faz com que você se sinta encantada por poder viver momentos de tranquilidade e pura magia, tudo parece caminhar para algo leve que irá trazer momentos mágicos. Com o passar do tempo e à medida que o relacionamento vai se firmando você passa a perceber que alguns comportamentos dele te trazem constrangimentos, percebe que falta “bom senso” em algumas ocasiões e para não magoá-lo resolve deixar pra lá essas insatisfações, afinal os momentos de alegria compensam esses comportamentos imaturos.

As coisas começam a ficar complicadas e perdem a graça, quando você passa a enxergar que além de “brincar” em horas impróprias, possuir comportamentos inadequados para a idade, seu parceiro também não se compromete com nada. A percepção que a vida para ele é uma eterna diversão, como se vivesse em um parque de diversões onde dia após dia ele acorda pensando em suprir seus desejos infantis, sem querer assumir responsabilidades por seus atos, onde não existe compromisso com todos incluindo seu trabalho, relacionamento, contas a pagar, filhos e qualquer outro aspecto da vida adulta traz a você grandes sofrimentos e decepções, ele encara como um fardo todo tipo de responsabilidade, recaindo sobre você a tarefa de lidar com TODAS as coisas práticas da vida e ainda suprir os desejos egóicos desse ser que não amadureceu, assim começa o fardo de quem se relaciona com um adulto que possuí a Síndrome do Peter Pan, o que antes era engraçado agora cansa, seu companheiro não quer amadurecer, confundem liberdade com falta de responsabilidade, não conseguem superar a fase egocêntrica, narcisista e infantil das crianças, geram verdadeiras confusões em seu entorno pois não percebem que seus atos influenciam negativamente o crescimento e amadurecimento das relações que os cercam.

Começar e terminar relacionamentos são para eles algo normal, não conseguem sentir empatia pelo sentimento que causam nos parceiros, a culpa pelo término sempre será do outro, o medo de se comprometerem causam verdadeiro pânico e faz com que eles pulem de relação em relação, vocês conhecem alguém assim? São os chamados inconsequentes, egocêntricos e imaturos, acredito que todos temos um amigo, parente, vizinho e as vezes somos nós mesmos que possuímos essas características, o certo é que nos dias atuais este tipo de comportamento é cada vez mais comum, nossa sociedade inclusive estimula essa atitude quando prega a eterna juventude, estimula a busca pelo prazer a todo custo e prega o narcisismo com algo a ser praticado, os próprios pais muitas vezes reforçam o comportamento infantilizado dos filhos não deixando com que os mesmos evoluam e sigam seu caminho, muitos usando de chantagens emocionais e materiais para poderem ter seu “bebe” dependentes de seus cuidados eternos, sofrem quando as consequências dos atos dos filhos recaem sobre eles mas continuam a reforçar o comportamento infantilizado ao colocar o filho de “castigo” cortando o cartão de crédito ou fazendo uso de outra forma de punição pelo ato imaturo e irresponsável do filho.

O que fazer para sair dessa situação? Primeiro devemos entender que a pessoa em questão deve estar disposta a trabalhar suas dificuldades, incluindo trabalhar seus vínculos familiares e a maneira de se relacionar com os outros, não é algo que irá ser facilmente ajustado pois envolve alterar a visão de mundo que a pessoa possui, mas certamente valerá o esforço, pois ser livre é não depender de outros para ser feliz e pleno. Você poderá apenas ser “apoiador” dessas mudanças, deixando com que o outro faça o esforço necessário para alcançar a sua maturidade emocional.

Como detectar a Síndrome do Peter Pan? Veja abaixo 7 características mais fáceis de identificar quem possui esse distúrbio, é importante sabermos que mulheres também podem possuir esse problema.

  1. Dificuldades nos relacionamentos: Importante dizer que além de possuírem medo do compromisso, muitos também não conseguem expressar o que sentem, podem possuir parceiros, viver fases boas em seus relacionamentos porém quando percebem que a relação está partindo para algo mais sério como um casamento, morar junto ou até mesmo se firmar como uma relação estruturada, eles rompem com a relação ou procrastinam a situação para evitar o compromisso.
  2. Procrastinação de tarefas e obrigações: Como dito acima a procrastinação é um comportamento comum na Síndrome do Peter Pan, todas as coisas que envolverem responsabilidade será um grande problema, as obrigações e as tarefas diárias serão realizadas após muito esforço ou até mesmo não serão concretizadas. Fazer escolhas não são boas alternativas para eles, principalmente quando envolvem responsabilidades a médio e a longo prazo.
  3. Problemas ao construir vínculos duradouro e verdadeiros: Não é que eles não queiram criar laços, os vínculos serão construídos porém não de forma concreta que leve a grandes compromissos, ao menor sinal de que a relação está caminhando para algo com sério, eles se afastarão e muitas vezes gerarão situações para que o término seja realizado pela outra parte, pois até isso para eles é complicado.
  4. Manipuladores: Inicialmente eles aparecem como seres encantados, extrovertidos, engraçados e inteligentes, mas por trás desse estereótipo possui um ser manipulador com muitos medos de se relacionar, nada será culpa deles, ao menor sinal de mudanças a reação será escapar e justificar suas inseguranças como “não querer perder a liberdade”.
  5. Mimados: são eternos mimados, tendo sua satisfação passageira, quando conseguem algo que almejam logo perdem o interesse e buscam novidades, se  apegam temporariamente as coisas e as pessoas, seus desejos devem ser supridos, não importa a dor que ocasiona ao outro, sempre suas vontades devem prevalecer.
  6. Jogos emocionais: mudam de comportamento rapidamente, instáveis e inseguros, de uma hora para outra mudam de opinião e comportamento, levam o parceiro à instabilidade emocional, causam dúvidas a respeito dos próprios sentimentos, você mesmo sem saber será testado com o intuito de comprovar seu comprometimento para com ele e a relação.
  7. Detalhistas e oportunistas: Esquecem com facilidade os compromissos que firmam, porém quando você se compromete com eles pode esperar cobranças, são exímios detalhistas para tudo o que diz respeito a eles e suas vontades, se um dia você se comprometeu mesmo que por brincadeira, saiba a cobrança pode até demorar mas virá. Pedir, exigir atenção e coisas materiais são normais para eles e a retribuição quando acontece é para conseguir outras coisas.

Se você sofre da síndrome de Peter Pan ou conhece alguém que sofra e queira sair dessa situação, para superar siga esses passos.

Encarar a realidade: Como tudo na vida, encarar a situação e dar o primeiro passo é fundamental para que a cura aconteça, talvez seja o momento mais difícil em todo o processo pois requer a aceitação que algo não está certo, entender e assumir que alguns comportamentos não são adequados para a idade e que atitudes típicas de crianças, pré-adolescentes e adolescentes não são inerentes aos adultos, gerando atritos e comprometendo a estabilidade emocional e material de quem possuí o problema.

Estabeleça limites: Assim como as crianças, pessoas imaturas precisam ter limites bem estabelecidos, aprender a ter a percepção interna que suas atitudes não são coerentes e ao invés de ouvir um não do outro, entender que os limites estão sendo ultrapassados irá evitar o desgaste e que os problemas ocorram.

Faça uma lista de atitudes que precisam ser alteradas: Saber quais atitudes não nos ajudam a evoluir e focar em alterar esses comportamentos será fundamental para a evolução da situação, ter a consciência do que é certo e errado e estabelecer limites para que nada seja excessivo será uma atitude saudável.

Assumir culpa e responsabilidade: Definitivamente a atitude mais complicada para quem sofre com a Síndrome do Peter Pan será responsabilizar-se pelos seus atos, alcançar a maturidade emocional e evoluir para ações mais consistentes, exigirá muita coragem e será um passo muito difícil de ser alcançado, porém fundamental para a evolução do tratamento.

Terapia psicológica: Sou fã de terapia, acredito que terapia é vida e para esses casos é fundamental ter apoio de um profissional capacitado, acreditem fazer terapia será requisito básico para uma nova maneira de se socializar e encarar a vida.

Termino nosso artigo com uma frase maravilhosa “Causa e efeito, meios e fins, semente e fruto não podem ser separado, pois o efeito sempre aparece na causa, o fim preexiste nos meios e o fruto na semente. A lei da natureza é: esforce-se e terá poder…” Napoleon Hill

Obrigada e até semana que vem.

Dra. Camilla Meizler

Sobre

A Diet Coach surgiu em primeiro lugar porque sou apaixonada pela minha profissão, como Nutricionista desde 2009 tenho verdadeira paixão pela ciência da nutrição, realizo-me em cada atendimento e durante esses anos pude constatar que a necessidade de meus clientes em obter os resultados planejados nem sempre ocorriam de maneira consciente, sustentável e duradoura.

Redes Sociais

Acompanhe nossos canais para ter acesso a outras dicas sobre alimentação, saúde, bem-estar e receitas práticas
Rolar para cima
Open chat
Fale direto comigo pelo Whatsapp